Conheça o Mobilidade Sonora, um programa que expande o conhecimento da música clássica.

Programa expande o conhecimento da música clássica

O Mobilidade Sonora é um programa de inclusão social que leva aos jovens participantes de ONGs, programas sociais e alunos oriundos de escola pública a oportunidade de conhecerem o mundo da música clássica. O programa, iniciado em 2011, conta com o apoio da empresa Fetranspor Social e leva apresentações musicais clássicas de orquestras às várias cidades do Rio de Janeiro.

Foi sabendo do projeto, que os alunos do Intercultural visitaram no dia 30 de setembro o SESC de Nova Iguaçu, onde a orquestra da ONG Programa Integração pela Música (PIM), apresentou diversas músicas. Como temas conhecidos de consagrados desenhos animados, como é o caso da trilha sonora da animação “A Pantera Cor de Rosa”. Outros sucessos como “A Thousand Years” da cantora Christina Perri e alguns clássicos da banda Coldplay também foram interpretados em uma versão clássica.

O maestro Claudio Moreira, responsável por reger essa orquestra de Vassouras, ensinou ao longo da apresentação vários termos da música clássica e também apresentou alguns instrumentos presentes nesse gênero musical como: o oboé, o violino, violoncelo, trombone e vários outros.

Em algumas canções, o maestro contou com a ajuda da plateia e guiado por estalos de dedos e palmas conseguiu a participação de todos nas canções. Alguns jovens presentes foram levados até o palco e tiveram a oportunidade de reger a orquestra por alguns minutos. Já no fim da apresentação dos jovens músicos, algumas lições de cidadania foram dadas e aproveitando a proximidade com o dia de eleição, avisos e lições sobre a importância do voto consciente também foram passados.


A aluna Maria Victória Dantas da Silva, da turma 1004, disse que apesar de já ter ido em outras apresentações de música clássica, o que ela mais gostou foi o fato de sua proximidade de faixa etária com a dos músicos. Ela diz: “Foi bem interessante e diferente, eu já havia visto algumas orquestras se apresentando, porém não uma orquestra com jovens da minha faixa etária.”

O programa, que já atingiu a marca de 600 mil jovens, além de realizar apresentações em espaços culturais, também realiza apresentações especiais em locais ao ar livre como em estações rodoviárias, praças e espaços com um grande público como é o caso da Central do Brasil e o Parque Madureira, usado muitas vezes como palco de orquestras.

Quem sabe você não dê a sorte de encontrar uma apresentação dessas pelas ruas do Rio de Janeiro?

Interviews

Most read of the week