A voz estudantil e força do protesto: Manifestações de nossos princípios

    Por conta de fatos ocorridos, resultantes da greve dos caminhoneiros, algumas empresas rodoviárias, pela falta de combustível, estão paralisados devido a esta situação. Contudo, isto reflete na mobilidade de trabalhadores e estudantes dependentes do meio de transporte público.

     Entretanto, neste domingo (dia 27), o Secretário de Educação Wagner Victer informou ao jornal "O Globo" que a rede estadual de ensino funcionará normalmente por não haver falta de suprimentos e por conta de não ter sido afetada pelo ocorrido.


     Como alunos da rede estadual, dependentes do meio de transporte público reivindicamos a ação do Secretário de Educação por conta da impossibilidade de locomoção evidente. A escola não pode ser vista como inabalável nessa situação, tendo em vista que os alunos que não puderem comparecer às escolas serão prejudicados com tal decisão precipitada.

     Alguns alunos de nossa escola, cientes dos fatos desencadeadores que atingiram nossa cidade, procuram, por meio dos textos a seguir, depor como forma de protesto suas falas e opiniões.

Sabrina Simões:

"Eu sou aluna da rede estadual, estudo no CIEP 117 Intercultural Brasil-Estados Unidos e estou impossibilitada de ir para escola porém fui ameaçada de levar faltas em todas as matérias no dia de amanhã se não for, mas como que eu vou se não tem transporte? Eu estudo 10hrs por dia, entrando as 07hrs e saindo as 17hrs, mesmo se eu for será que conseguirei voltar para casa? Eu pego duas conduções para ir e para voltar e que claramente estão rodando com números de carros reduzidos. Se com o número de carros normal e eu já pego ônibus cheio todos dias, imagina reduzido isso se eu conseguir pegar, isso se eu conseguir ir para escola. É um absurdo impor esse tipo de coisa aos alunos pondo duas seguranças em risco. Espero não ter que passar por isso amanhã para não levar faltas, já que a possibilidade de até os professores não conseguirem ir é absurda.".

Gabriel Guilherme:

"Olá, sou estudante da rede pública de ensino estadual, hoje, 27/05, fora publicada uma notícia informando que haverá aula normal na segunda-feira (28/05), alegando que existe merenda para tal funcionamento. Porém, a realidade é muito diferente do que fora passado nessa notícia, não há merenda em algumas escolas, além de não termos meios de locomoção, pois devido a tal greve, a maioria dos transportes estão rodando com número muito abaixo do normal. A decisão do secretário de educação Wagner Victer põe em risco estudantes, professores e funcionários ao colocar os mesmos na rua durante tal crise nacional, há relatos de assaltos intensificados nos pontos de ônibus, além da falta de certeza se todos irão poder voltar pra casa ao irem. Enfim, deixo aqui minha indignação perante a decisão do secretário de educação, aliás, foi bem feio dizer que a escola pública é a escola dos pobres, víu secretário?".

     Logo, estamos aqui para lutar por nossos princípios e direitos por meio da força de nossa voz.


Matéria feita e redigida por Maria Fernanda Cândido.

Interviews

Most read of the week