O uso da tecnologia na educação

Como os recursos tecnológicos podem gerar oportunidades para o ensino?

 Por ser relativamente nova, a relação entre tecnologia e escola ainda é bastante conflituosa e polêmica. Em sala de aula, é proibido o uso de celulares, iPods, notebooks e similares (embora esta regra acabe sendo, muitas vezes, burlada). Se entre os alunos é unanimidade que a proibição é absurda, entre os professores há uma clara divisão de posicionamento: uns vêem com bons olhos os novos recursos e se empolgam com as possibilidades que poderão se abrir, outros temem que eles tomem seu lugar, enquanto os mais conservadores acreditam que estas tecnologias só desconcentram o aluno e atrapalham o aprendizado.


É evidente a insatisfação dos alunos em relação a aulas ditas "tradicionais", ou seja, aulas expositivas nas quais são utilizados apenas o quadro-negro e o giz. O aprender por aprender já não existe: hoje, os alunos precisam saber para quê e porquê precisam saber determinado assunto.

É importante, no entanto, que haja não apenas uma revolução tecnológica nas escolas. É necessária a revolução na capacitação docente, pois a tecnologia é algo ainda a ser desmistificado para a maioria dos professores.

 Os recursos tecnológicos devem servir como extensões do professor. Ideias abstratas tornam-se passíveis de visualização; o microscópico torna-se grande; o passado torna-se presente, facilitando o aprendizado e transformando o conteúdo em objeto de curiosidade e interesse.

São muitos os benefícios trazidos pelos recursos tecnológicos à educação. Contudo, é preciso que o professor conheça as ferramentas que tem à sua disposição se quiser que o aprendizado aconteça de fato. O uso das tecnologias na escola está além de disponibilizar tais recursos; ele implica aliar método e metodologia na busca de um ensino mais interativo.

 Escrito por Maria Eduarda Chambarelli.
 Redigido por Nicole Pires.

Interviews

Most read of the week