Se graduar?

É bem comum que as pessoas e principalmente os jovens que estão no ensino médio, sejam influenciados a irem para faculdade. Mas isso leva a pensar sobre o quão necessário é se graduar.

É normal os professores indicarem algumas universidades e falarem sobre ENEM e outros vestibulares a maior parte do tempo em sala de aula. Pra quem está inserido nesse contexto, é notório o fato de alguns alunos se sentirem pressionados quanto a isso. Mas em qual momento isso passou a ser realmente uma necessidade pra toda a população?

No século XIX, quando começou a Revolução Industrial, houve um êxodo rural, os camponeses foram obrigados a deixar suas terras no campo e ceder à burguesia, com isso, essas pessoas tiveram que se especializar para trabalhar com as máquinas nas cidades, haja vista que a produção passou a ser mecânica e não mais manual. A partir daí, a mão de obra qualificada passou a ser crucial.

Hoje, no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), 15,3% da população tem ensino superior, isso é inferior ao número de pessoas que tem o ensino fundamental e médio. Em alguns pontos de vista, isso pode ser algo ruim, já que se tem, hoje, muito incentivo por parte do governo com programas como SISU, PROUNI e FIES que levam quem quiser chegar até a universidade.

Entretanto, é preciso entender que nem todos vão aspirar à faculdade e que isso é necessário para que a economia do país funcione normalmente. Por exemplo, um caminhoneiro que viaja o Brasil inteiro entregando alimentos, um pintor e até mesmo um vendedor, não precisou entrar em uma universidade pra ser um profissional, ele fez algum curso ou simplesmente usou de suas próprias habilidades pra isso.

Feito por Ana Carolina 
Redigido por William C.

Interviews

Most read of the week