Fatos sobre a Rússia: a sede da Copa do Mundo de 2018

      

 Sim, provavelmente você não sabia dos fatos que serão citados aqui, mas é sempre bom estar antenado quanto ao exterior e oque acontece no mesmo. O país é a décima segunda maior economia do mundo por PIB nominal. É também, de terceiro mundo e chama a atenção por suas várias polêmicascostumes, sua cultura e sua visão sobre a sociedade. Está sendo comentado  principalmente durante esse período de Copa do Mundo.


Curiosidades Básicas 

      Sabia que os russos comemoram o Natal no dia 7 de janeiro? Eles seguem o calendário do cristianismo ortodoxo. Muitos não sabem também que a Rússia é o maior país do mundo e ocupa metade da Europa e 1/3 do continente europeu.

 Polêmicas

    Um dos fatos que mais geraram polêmica na internet, foi de que antes da Copa do Mundo desse ano, ocorreu um massacre de milhares de cães de rua por lá. Todos ficaram sabendo por um deputado que denunciou. Segundo ele, as autoridades da região recebem ordens para estabelecer uma operação e acabar com a vida de vários cães sem lar. O chefe de comitê de proteção ambiental do país declarou que era mais fácil que os animais fossem colocados em centros de detenção provisória e esterilizados. Para ele, com o mesmo dinheiro poderiam fazer tudo isso, seria mais humanitário. O público ficou indignado ao saber dessa notícia.

      Além disso, algo que também foi muito comentado e talvez, desde sempre tenha sido, é o fato comum da homofobia e intolerância. Os canais estatais tratam os homossexuais como depravados, doentes. Instaurando de uma vez por todas a intolerância com as decisões da sociedade russa. Os LGBTS sofrem perseguição e humilhação, mesmo que isso tenha deixado de ser crime em 1993.
   “A homofobia está em todo o lugar, na política, nas ruas, nos locais de trabalho, na família, entre os amigos”, diz Svetlana. “É impossível se assumir publicamente e não enfrentar algum tipo de violência e discriminação na Rússia."

    Mais do que isso, muitos homossexuais têm tratamento negado nos poucos centros de cuidado médico dedicados à doença que é epidemia: o HIV, que os russos acreditam ser um dos frutos das políticas anti-gays do governo.


Para onde costumam fugir?

É notório que, em meio à toda essa tempestade, há um refúgio. E este é os Estados Unidos, lugar comum pra quem é russo, homossexual e não aguenta mais o sofrimento. Lyosha Gorshkov é co-presidente da organização RUSA LGBT, que acolhe pessoas vindas da Rússia e de outras ex-repúblicas soviéticas em território americano.

Oque o governo acha disso?


     Vladmir Putin, presidente da Rússia desde 1999, diz que o país tem que 'se livrar da homossexualidade'. Na Chechênia, pais são orientados à matar filhos gays, para que 'se limpe a honra', não é raro que isso aconteça, na verdade é bem comum que os pais realmente sigam essas orientações.

Você sabia que na Chechênia há campos de concentração de gays?

Lá, muitos são presos, torturados, eletrocutados, espancados e etc. Pessoas de 16 à 50 anos são levadas à campos de concentração por estarem praticando um crime: a homossexualidade.

   Religião 

O país é um estado laico, mas as 4 religiões tradicionais da Rússia são a Igreja Ortodoxa Russa, Islã, o Budismo e Judaísmo, de modo que todos têm o direito automático a pregar e praticar sua religião em público e privado. É também um dos países com o maior número de ateus e agnósticos no mundo.

Matéria feita por Nicole Pires  

Interviews

Most read of the week