Breaking

Post Top Ad

Your Ad Spot

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Marcelo Padilha, estudante de apenas 19 anos, conta sobre o Modelo das Nações Unidas e seu curso de Graduação


Quando a pergunta é sobre a escolha do curso de graduação ou a escolha da carreira profissional, muitos jovens e adultos encontram muita dificuldade de responder essa questão com precisão, pois ela envolve autoconhecimento e muita reflexão, e como o estudante da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Marcelo Padilha, isso não foi muito diferente.

Com apenas dezenove anos, Marcelo Padilha já está no meio da graduação de Relações Internacionais. Mas segundo ele, essa opção de curso só o foi apresentada quando este estava no Ensino Médio, durante uma das edições do Fórum de Relações Internacionais Juvenil (FRINJ), onde ele se apaixonou pelos Modelos das Nações Unidas.


Para Marcelo, o modelo de simulações foi de grande importância, pois o ajudou a crescer como cidadão e a entender o papel dos grandes líderes globais. Porém, segundo Marcelo, quem quiser passar pelo modelo de simulações ou entrar no mundo das Nações Unidas , precisa ser uma pessoa com a mente aberta a novas perspectivas e que está disposta a mudar e melhorar.

Apesar de já estar fazendo um curso de graduação, para Marcelo a escolha de qual carreira seguir a partir disso ainda é um dilema, pois o curso de Relações Internacionais tem ligações com várias carreiras. Entretanto, ele já decidiu que quer fazer algo bem produtivo, que o faça feliz e que o permita ajudar a mudar o mundo.

Como um estudante, um cidadão, sonhador e um futuro internacionalista ele deixa um conselho aos jovens que é o de procurar se auto conhecer antes de escolher uma carreira ou um curso de graduação ele também diz que para uma boa escolha nas nossas vidas devemos pensar na nossa felicidade e não no nosso dinheiro. E por último, mas não menos importante, ele convida todos os brasileiros e a todas as pessoas mundo a fora que busquem participar ativamente na modificação das nossas realidades, segundo ele, essa não é uma luta fácil, mas sempre há uma chance para a mudança.

O primeiro passo para a mudança é a aceitação. Uma vez que você aceite a si mesmo, você abre a porta para a mudança. Isso é tudo o que você tem que fazer. Mudança não é algo que você faz, é algo que você permite.” - Will Garcia

Matéria feita por Italo Medeiros, revisada por Aline dos Santos.

Páginas