O que é abuso sexual?


O que é abuso sexual? A resposta, para muitas pessoas, parece óbvia, inclusa até no próprio termo a que se refere. Deve-se entender, no entanto, que o abuso sexual assume várias faces e é muito mais velado do que se imagina.

“A violência contra as mulheres não está confinada a uma cultura, uma região ou um país específicos, nem a grupos de mulheres em particular dentro de uma sociedade. As raízes da violência contra as mulheres decorrem da discriminação persistente contra as mulheres’’, afirma a ONU.

Por definição, Abuso sexual é a atividade sexual não desejada, onde o agressor usa a força, faz ameaças ou exclui vantagens da vítima. Por exemplo: uma criança e um adulto, uma criança e uma criança mais velha, um paciente e um médico, um estudante e um professor etc.

Só no Brasil, três denúncias são feitas a cada hora só de abusos sofridos por crianças e adolescentes, visto que a grande parte das pessoas que sofrem essa violência, principalmente crianças e adolescentes, não denunciam o crime, o número total de casos tende a ser muito maior.

Existem muitos fatores que explicam o fato de muitas vítimas não denunciarem o seu agressor, como por exemplo:

1 – Muitos abusos acontecem na própria casa da vítima: essa situação é bastante recorrente e no caso das crianças, há uma enorme quantidade de relatos de meninas e meninos que foram violentados por parentes ou pessoas muito próximas.

No caso de mulheres adultas, a maior parte dos abusos são realizados pelos próprios maridos. ‘’’Ué, mas como uma mulher pode ser estuprada pelo marido???’’ Do mesmo jeito que mulheres são estupradas por homens desconhecidos. Acontece que muitos homens ainda se acham ‘’donos’’ de suas esposas, forçando-as a fazer sexo quando não querem, e como já sabemos, o nome disso é ESTUPRO.

2 – Medo: pessoas violentadas são comumente ameaçadas por seus agressores. 3 – Vergonha: contar para alguém que foi vítima de estupro é uma tarefa difícil para a maioria das pessoas. Muitas crianças quando são abusadas nem sequer entendem o que aconteceu e se sentem profundamente constrangidas em contar para alguém, o que gera ainda mais traumas.

Mulheres adultas, no entanto, sofrem uma pressão estrutural e muitas acabam sentindo-se culpadas por terem sido vítimas de abuso sexual. Não faz sentido né? Pois é, mas se você repete bordões do tipo ‘’depois é estuprada e não sabe por que’’, ‘’tá pedindo’’ ou ‘’bebeu porque quis’’, você está contribuindo plenamente para a perpetuação disso.

O machismo é estrutural, a objetificação feminina é comercial na TV, crianças são sexualizadas pelas novelas e vítimas de estupro são cada vez mais culpabilizadas pelo mesmo. Mais do que conceituar o abuso sexual, é necessário que seja feita uma reflexão sobre como ele está impregnado em nossa sociedade e qual a nossa participação nisso tudo.

E aí, pensou?

Cada um assume um papel diferente e a partir desse papel, cada um assume um dever diferente. Qual é o seu lugar na luta contra o abuso sexual?

Matéria feita por Carolina Oliveira.

Interviews

Most read of the week