Mexeu com uma, mexeu com todas: O assédio moral e sexual contra as mulheres


Após a grande repercussão, todos souberam do caso do ator José Mayer,e a figurinista Susllem Tonani, que ganhou cunho internacional.


Um tempo atrás, o pai e marido, foi acusado de estar há mais de 7 meses assediando sua colega de trabalho. A emissora Globo, após a declaração de Susllem, decidiu comentar que "repudia toda e qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito". O ator, constrangido admitiu em uma carta que errou, e no dia seguinte foi afastado de projetos futuros pela emissora. A coragem da vítima, sobre o profissional, foi admirada por muitos pois ele é um homem reconhecido, e ela conseguiu vencer seu medo, trazendo novamente a tona um assunto que a muito tempo vem servindo para debates não só por internautas, como meio de conscientização.

No dia a dia, atitudes como a de Susllem ainda são surpreendentes. Pois o ensino aprofundado do que se trata o assédio é bem pouco. Logo, quando uma vítima vence seu medo e declara o que está sofrendo, meios de comunicação usam tais declarações como um meio de comunicação para explicar tal crime.


O assédio moral é a exposição humilhante e constrangedora à alguém. É ter atitudes machistas com a mesma. Como por exemplo, pôr-se em nível superior ao seus funcionários, pensando que podem tudo para com o outro somente por serem chefes. Tal assédio é mais antigo que o próprio trabalho. Sendo antiético e desumano.

No dicionário a palavra "assediar" significa: "perseguir com insistência, molestar, perturbar, aborrecer, incomodar, importunar". A Lei de 15 de Maio de 2001 diz: "Constranger alguém com intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual,prevalecendo-se o agente de sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego,cargo ou função."

O Assédio sexual pode ser visto como um ato de violência contra mulheres e homens. É toda forma de avanço sexual não consensual. É geralmente praticada por posições hierárquicas. Uma falta de respeito.

Existe também o assédio fora do trabalho, e são muitas as mulheres que sofrem com isso, elas estão expostas a contatos em todo lugar. Na rua, no metrô, no ônibus, na noite, podendo receber agressões verbais, ou serem forçadas a sair com um homem. A vítima recebe olhares maliciosos seguidos de cantadas, ou até algo mais.


Oque fazer quando se sentir assediada?

Pesquisar sobre o assunto, e denunciar. O silêncio, ainda normal, precisa ser substituído pela denúncia. Uma brincadeira pode não parecer grande coisa, mas se for de mal gosto, não leve adiante. Assim como a demonstração de violência. Caso sua reclamação e o seu "não" seja ignorado, denuncie. O abuso na carga horária, molestamento, exposição, intimidação... o assédio é composto de muitas formas. Não se conforme, ligue 180.


 Matéria feita por Nicole Pires.

Interviews

Most read of the week