Sobre Desigualdade social e o dia 13 de Maio

 "Princesa Isabel assinou a Lei Áurea em 1888.
  E olha só, ainda em 2018 existe a desigualdade e o Racismo. Como pode uma sociedade ser tão retrógrada? Como pode um ser humano ser tão sem base histórica e dizer que os negros não sofreram, ou que os negros mereceram esse tipo de sofrimento?"

Num momento como esse, de guerras, de muita violência e insegurança, o mundo deveria se unir. Nesse mês de Maio, se comemorou mais um ano em que os escravos foram livres de tudo oque os aprisionava. E parece que uma coisa aprisionada não foi liberta desde aquela época: a mente.

Muitos continuam a ser agredidos com comentários desnecessários. Alguns até são agredidos fisicamente e a cada dia que passa os negros recebem repúdio sem motivo, ódio do mesmo. "O Atlas da Violência 2017, lançado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública revela que homens, jovens, negros e de baixa escolaridade são as principais vítimas de mortes violentas no País. A população negra corresponde a maioria (78,9%) dos 10% dos indivíduos com mais chances de serem vítimas de homicídios." - Site Carta Capital

Somos iguais perante à lei e Racismo é crime, a pena vai de 1 a 3 anos além da multa. (Lei 7.716, chamada Lei de Caó, em homenagem à seu autor Carlos Alberto de Oliveira, deputado e ativista no movimento negro).

Sobre algumas expressões famosas

Queremos que essa desigualdade racial acabe já, queremos mais respeito para com todos. Esperamos que expressões como: "Inveja Branca" (expressando uma coisa positiva), "A coisa tá preta" (refletindo à algo desagradável), " Não sou tuas negas" (como se negra fosse de todo mundo, além de ser carregada de machismo) acabem. Seria bom que todos se colocassem no lugar do outro quando dissessem coisas do tipo ou fizessem algo pior.

Como denunciar

É possível prestar queixa nas delegacias comuns e especializadas em crimes raciais. Algumas unidades contam com disque-denúncias para este crime, como o disque 124 no Distrito Federal. Denuncie e colabore para que isso acabe.



"As vidas negras importam" ( Movimento ativista internacional).

Matéria feita por Nicole Pires.

Interviews

Most read of the week