Breaking

Post Top Ad

Your Ad Spot

quinta-feira, 30 de setembro de 2021

Setembro Amarelo: Entrevista com a psicóloga Gabriela Barbosa


  O mês está acabando, mas não poderíamos deixar de falar sobre o setembro amarelo que é o mês da conscientização e prevenção ao suicídio e tivemos o prazer de entrevistar a psicóloga Gabriela Barbosa, ela nos explicou sobre depressão e ideação suicida e nos orientou sobre como identificar e ajudar pessoas que sofrem com a doença.


O “Setembro amarelo” teve como estopim no Estados Unidos em 1994, após o suicídio de Mike Emme um jovem de 17 anos, que passava por transtornos psicológicos por não ter coragem de contar o fato, acabou suicidando-se dentro de seu carro de cor amarelo.


A CVV (Centro de valorização a vida) teve iniciativa no projeto Setembro amarelo e nos últimos anos tem tido grande repercussão, o projeto tem como finalidade a prevenção ao suicídio e a conscientização da população para com a saúde mental das pessoas ou de si.


Foi perguntado a psicóloga se de alguma maneira poderíamos identificar uma pessoa com depressão e ela disse: "A depressão só pode ser diagnósticada com o acompanhamento psicológico, mas podemos identificar uma pessoa com depressão quando ela apresenta um humor triste, não como sentimento, uma tristeza duradoura, sentimentos de desamor, desvalor e com falas negativas como: "Tudo se resolveria se eu estivesse morta.", " Não vejo sentido na vida."


Devido ao aumento da taxa de casos de depressão, há também o crescimento ao combater a depressão, nesse intuito a um interesse pela causa da depressão para de alguma forma evitar a doença, a psicóloga orientou " a depressão é multifatorial... pode depender do fator genético... e ainda a visão de mundo que a pessoa tem de si e do outro" ela ainda destacou que o ambiente no qual o indivíduo se encontra afeta muito (principalmente o núcleo familiar) sendo um dos maiores agravantes da depressão e ansiedade atualmente.


Ampliou nossos conhecimentos sobre a invalidação emocional. "Uma das maiores demandas que encontro no consultório é a invalidação emocional" afirmou a psicóloga. Ela


que muitas vezes é o grande motivo das pessoas que sofrem com a depressão não conseguirem contar para as pessoas sobre o que estão passando, pode acontecer em diferentes nichos, ela precede quando alguém se permiti ser vulnerável e falar sobre sentimentos e pensamentos para alguém e o outro minimiza o que a pessoa disse, invés de escutar e quando nos referimos à alguém que está sofrendo com depressão essa pessoa acaba intensificando o processo dela, induzindo ela a acreditar que seus problemas são inúteis e fazendo ela se fechar cada vez mais.


Qualquer um de nós pode estar invalidando o sentimento de alguém com quem tenhamos um relacionamento, portanto devemos nos atentar mais a isso. E o que devemos fazer?


Pessoas que sofrem de depressão precisam de uma constante demonstração de carinho, apoio e amor.


"Estando presente na vida dessas pessoas, se mostrando presente e realmente sendo amigo, é necessário que haja uma demonstração e uma dedicação maior a essas pessoas" afirmou a psicóloga.


Com a Pandemia do Covid-19, os casos de depressão e ansiedade aumentaram, e a Psicóloga Gabriela nos explica que em todas as transições e mudanças em nossas vidas podem causar um impacto negativo. "Com a chegada do vírus as pessoas tiveram mais tempo com os próprios pensamentos negativos e autocobrança, essa mudança repentina na rotina e na vida das pessoas acaba sendo pesada e desgastante, principalmente sem terapia"


A pandemia trouxe grandes momentos de solidão que agravaram a depressão e isso destaca a importância do diálogo e do apoio, portando seja a rede de apoio daquele que precisa, se faça presente, seja um bom companheiro e compartilhe esses conhecimentos.


A depressão tem cura e para isso é necessário terapia. Caso você precise de ajuda existem projetos disponíveis para auxílio e ajuda psicológica como o número 188 do CVV. Ligue e não perca tempo sua vida importa.



Repórteres Daniela Barbosa, Letícia Santos e Marco Rodrigo

Redigido por: Júlia Muniz e Cassiane Araujo




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Páginas